Cuidado com as emoções tóxicas

Evite se agarrar em emoções como mágoa, raiva, tristeza, ansiedade e afins

Evite se agarrar em emoções como mágoa, raiva, tristeza, ansiedade e afins

Já viu um panda agarrado a um bambu? É mais ou menos assim que, às vezes, até sem perceber, as pessoas se agarram a algumas emoções - como mágoa, raiva, tristeza, ansiedade e afins. Um exemplo? Você levou um fora, já passou um tempão, mas há tanta raiva acumulada que nem o incrível Hulk a seguraria. Outro exemplo? Seu chefe a mandou embora, você já está em outro emprego, mas chora toda vez que vê a canetinha com o logotipo da ex-empresa na sua bolsa. O problema é que, quando em excesso, essas emoções se tornam tóxicas e aí é um passo para as doenças fazerem a festa.

“As pessoas funcionam em um eixo psicossomático. Acredito que grande parte dos distúrbios e disfunções orgânicas tenham sua origem em problemas de natureza psicológica. O que acontece? Receber uma descarga hormonal (adrenalina) em alguma situação de estresse é normal. Mas, se o estímulo que a desencadeou já não existe mais, e o corpo continua se sobrecarregando de cortisol, aí é problema”.

A maioria das pessoas que alimenta as emoções tóxicas tem um padrão de funcionamento emocional repetitivo. “É como se o indivíduo fosse condicionado, como se um “software” fosse instalado em sua mente desde a infância e, então, fica bem difícil sair desta zona de conforto”.

Sai que esse corpo não te pertence!

Os especialistas dão dicas para você se livrar das toxinas emocionais:

“Naturalmente vivemos em função de símbolos e procuramos alimentá-los dentro de nós - seja um parceiro ou uma parceira. Se não der certo, parta em busca de outros. A vida sempre continua. Já diz o ditado: ‘Papa morto, Papa posto’. Agora, se o desligar-se for difícil demais, a hipnose quântica pode ajudar. Por meio de uma comunicação não verbal consegue-se entender melhor as emoções e a decodificá-las. Assim, é possível ficar livre de bloqueios.”

“Quando você deseja muito uma coisa e ela não acontece, cria-se uma energia, um desgaste tão grande que a emoção acaba atropelando tudo. E aí vem uma forte mágoa. Mas por que isso acontece? Por causa do medo, por exemplo, de achar que você não é bom o suficiente. O mecanismo que você cria é assim: ‘Se eu preciso ser a melhor, eu estou dizendo que não sou a melhor. Ou seja: tenho de me desgastar mais’. O que fazer? Quando começar este processo do ‘eu preciso’, pergunte-se: ’Eu estou brigando com o que dentro de mim? Que conflito é esse? O que falta para que eu me sinta bem sem entrar em uma energia de competição interna?’. A compreensão faz toda a mudança”

“Invista em bom humor! Um experimento propôs aos voluntários que eles receberiam um pequeno choque a qualquer momento. Uma parte dos indivíduos apenas esperou pelo choque, outra parte esperou ouvindo um áudio sem conteúdo humorístico e um terceiro grupo esperou pelo choque ouvindo um áudio com conteúdo de humor. O áudio de humor foi capaz de reduzir a ansiedade antecipatória ao choque.”

“Ponha o seu foco na percepção, na elaboração e na atuação. Percepção é desligar o piloto automático, indignar-se com a situação. Elaboração é procurar ajuda na psicologia, espiritualidade e afins. E atuação é ‘botar a mão na massa’, gastar energia para mudar, levantar-se da cadeira.”

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...