Medo de avião

 

Apesar de as estatísticas mostrarem que o avião é um meio de transporte confiável e seguro, muitas pessoas têm medo de voar. É normal. Afinal, o ser humano não nasceu para voar e, portanto, sente-se muito mais confortável com os pés no chão.

Uma das coisas que mais provocam medo ao voar é a ignorância. O sujeito entra dentro do avião e não tem nem ideia do porquê de aquela máquina mais pesada que o ar levantar voo. Não é o caso aqui de estudar Santos Dumont ou irmãos Wright, mas sim de conhecer algumas coisas básicas sobre o voo.

Por que o avião voa - O princípio básico do voo é o mesmo que faz uma bexiga cheia de ar sair voando se você estiver segurando sua boca com os dedos e soltar imediatamente: muita força para pouco peso. Mas o avião é pesado, toneladas e toneladas. Sim, mas a potência dos motores é tão forte que o empuxo acaba tornando-o leve.

Hélice ou jato - Os aviões com hélice voam tão bem quanto os jatos, entretanto podem ser mais barulhentos e são bem mais lentos.

Número de motores - Normalmente as pessoas se sentem mais seguras em aviões com quatro ou três motores do que dois ou um. Na aviação, entretanto, existe uma máxima: quanto mais motores você tiver, maiores serão as possibilidades de pane. Portanto, não se incomode com o número de motores. Normalmente os voos domésticos e a maioria dos internacionais são feitos com dois motores. Saiba que todo avião é capaz de voar com apenas um motor e fique mais tranquilo.

Clima - Dê preferência para voar no inverno, pois é nessa estação que os aviões balançam menos. No verão, o choque de massas de ar frio com massas de ar quentes é mais frequente e forma nuvens escuras, com muita chuva ou raios. Para sua tranquilidade, saiba que os aviões têm radares meteorológicos e desviam das nuvens mais densas, aquelas que contêm granizo e podem comprometer a segurança do voo. Uma dica para os voos do verão é viajar de manhã, no máximo até as 15 horas, ou à noite, pois as tempestades são mais frequentes no final da tarde.

Onde sentar - É bobagem sentar no fundão do avião porque "as chances de sobreviver a um acidente são maiores". Ora, se é para entrar na aeronave com esse sentimento, nem viaje. A parte de trás só tem desvantagens: é a que mais balança, tem o ar menos puro, está próxima dos toiletes e faz mais barulho por estar atrás ou próxima dos motores. O ideal é sentar na frente, numa das primeiras fileiras. Veja: se atrás fosse bom, a primeira classe seria lá.

Janela ou corredor - Prefira a janela, pois você poderá ver o que acontece do lado de fora, acompanhar as paisagens. Isso pode lhe distrair e reduzir o medo. Pior do que ver as coisas lá de cima é estar num local fechado, apertado e sem saber por que balança tanto. Além disso, as próprias nuvens servem de referência para que você não se sinta tão nas alturas.

Sobre as asas - Uma forma de curtir o voo e ter menos medo é sentar ao lado ou logo atrás das asas. Assim, você poderá "assistir" as manobras do avião quando decola, quando faz curvas, quando está se aproximando do aeroporto e quando pousa.

Palavras cruzadas - Livro ou revista podem não ser suficientes para quem prefere se distrair e desligar do voo. Por isso, eu sugiro palavras cruzadas, uma lição escolar ou mesmo um  trabalho, pois sua mente ficará realmente ocupada e se desligará do voo.

Barulhos ou ruídos - O avião em movimento emite diferentes sons, que podem assustar quem tem medo. Por isso, uma dica é saber o que significa cada barulho ou ruído. Logo após a decolagem, o barulho mais forte é o do recolhimento do trem de pouso. Alguns minutos de subida e o barulho modifica-se para uma rotação mais suave. Calma, o motor continua funcionando, mas com menos potência. Da mesma forma, os flaps são recolhidos para dentro das asas. Quando atinge nível de cruzeiro, é comum a rotação do motor reduzir ou aumentar. Significa que os pilotos estão fazendo o seu trabalho. Quando o avião inicia a descida, o ruído do motor se reduz bastante, ele vai praticamente em "marcha lenta", se isso existisse na aviação. Ao se aproximar do chão, um barulho forte vai surgir -- desta vez, são os flaps sendo acionados para dar hipersustentação ao avião. Finalmente, um dos últimos ruídos bem altos é o do trem de pouso sendo baixado e travado.

Espero que essas dicas sejam úteis para você ou para algum conhecido. Também sugiro a leitura de revistas de aviação, para que você fique mais familiarizado com todas as fazes do voo, com a meteorologia e até mesmo com a navegação aérea. Além disso, saberá que avião não tem bico, mas sim nariz, e que não tem rabo, mas sim cauda. Também pode acompanhar até mesmo a idade de todas as aeronaves comerciais brasileiras. Para finalizar, tenha certeza de que o comandante e o co-piloto aprenderam como lição número 1 na escola de aviação que a parte mais importante do voo é o pouso.

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...