Polícia britânica usa o Facebook para solucionar caso de assassinato de arquiteta

image
A polícia britânica começou uma campanha no site social Facebook para tentar levantar pistas que levem ao assassino da arquiteta Joanna Yeates, em um crime que vem despertando as atenções no país.
Jo Yates, como ela vem sendo chamada pela imprensa local, foi encontrada morta no dia 25 de dezembro em Longwood Lane, uma área perto de Bristol, sudoeste do país, oito dias após desaparecer de casa.
A estratégia de buscar pistas através do Facebook foi a opção da polícia porque os investigadores acreditam ser mais eficiente que espalhar panfletos ou cartazes.
Possíveis testemunhas podem entrar em contato com os policiais através do site, em vez de ligação telefônica.
O detetive Phil Jones, da polícia de Avon e Somerset, que está cuidando do caso, disse que espera que Facebook estimule as pessoas a passarem mais informações.
"A maioria das pessoas atualmente passa um tempo no Facebook e outros sites de relacionamento, já se transformou em rotina diária para muitos", disse.
"Este anúncio nos permite levar as pessoas a partes especiais de nosso site com todas as últimas informações sobre o caso, permite que elas entrem em contato com a polícia diretamente, online, sem precisar de telefonemas." Jones afirmou ainda que a polícia já usou o Facebook em vários outros casos importantes, pois a informação pode ser usada de forma mais ampla do que nas campanhas tradicionais com panfletos e cartazes.
Scott Fulton, chefe do setor de tecnologia da polícia da região, afirmou que já foram recebidas 260 mensagens pela página do Facebook.
"Além disso, já tivermos mais de 63 mil acessos das atualizações de notícias em nossa página, mais 18 mil na página dedicada à Jo (Yeates) e mais de 70 mil acessos dos clipes das câmeras de vigilância em nossa página no YouTube", acrescentou.

Violência sexual
A polícia diz que ela foi estrangulada. Embora não haja indícios de violência sexual, a polícia não descartou um motivo sexual para o crime.
O caso de Yeates ganhou destaque na Inglaterra por causa das circunstâncias incomuns do crime.
A arquiteta de 25 anos desapareceu no dia 17 de dezembro, após comprar uma pizza e duas garrafas de cidra no caminho para casa, quando voltava de um bar.
Seu casaco, carteira, chaves e telefone celular estavam em seu apartamento e não havia sinal de arrombamento ou luta na propriedade.
O namorado de Yeates, Greg Reardon - que vivia com ela, mas estava fora da cidade visitando a família - ligou para a polícia quando voltou de viagem, dois dias depois, dizendo que ela estava desaparecida.
No último dia 25, o corpo da arquiteta foi encontrado coberto de neve em uma estrada rural a cinco quilômetros de seu apartamento por um casal que estava passeando com seus cachorros.
O proprietário do apartamento onde a jovem vivia, Chris Jefferies, de 65 anos, que mora no apartamento em cima do dela, foi preso, suspeito de ser o assassino da arquiteta. No entanto ele foi liberado sob fiança.
Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...