Refletir sobre a própria carreira, um desafio permanente de sobrevivência e desenvolvimento no mercado de trabalho – fundamental para a própria realização e felicidade.

Ler, escrever, conversar e conhecer

 

1. Leia e estude – jornal, livros, internet, revistas… o mundo está repleto de experiências documentadas, que foram vividas por tantas pessoas. Lá você encontra um mundo adormecido com pistas seguras de quem já superou obstáculos que agora se apresentam na sua frente. Lá você terá prazer de reconhecer sentimentos e emoções que falam diretamente ao seu coração. Revelam-se novidades e brechas de luz nos textos que nos iluminam a alma. A leitura deve ser um item obrigatório da sua agenda profissional;

2. Escreva – este é um dos maiores desafios do profissional hoje em dia. Saber, mas não conseguir se expressar, é o mesmo que um carro sem volante. Pressupõe a presença de uma bagagem de argumentos colocados de forma ordenada para alcançar um objetivo claro de entendimento. Ter opinião (ser contra ou a favor, argumentar, entender o contraditório) e conhecer profundamente a língua portuguesa para transmiti-la são ingredientes básicos da receita do bom profissional;

3. Converse – neste mundo de redes sociais ainda a ser plenamente desvendado, precisamos resgatar a importância do relacionamento humano (relacionamento vivo feito entre duas pessoas que se olham e reconhecem a existência mútua, repleta de imperfeições). Em casa, entre os amigos e no trabalho, conhecer o universo humano e saber lidar com ele, compreendendo e respeitando o outro, é uma dádiva que abre portas, soluciona problemas, cria e fortalece laços na vida e na carreira.

Por fim, esses três passos levam ao quarto: a formação do conhecimento, num ciclo que considera beber em várias fontes, digerir em forma de argumentos próprios e opiniões e saber expressar essa sabedoria em benefício de um projeto pessoal e profissional de sucesso. Tudo isso, respeitando quem você é, sendo feliz num mundo vivo de pessoas diferentes e maravilhosas. Boa sorte para todos nós.

 

Educação para ver, ética para sobreviver

 

Episódios recentes da vida pública e corporativa flexibilizaram o conceito de Ética e desvalorizam o papel da Educação. Quando o assunto é resultado, atingir os objetivos sobrepõe a seleção de meios, ignora a via percorrida, salta etapas e fura filas. Quem não ficou tentado ou mesmo experimentou algum atalho para facilitar o suposto bom resultado?

Educação e Ética andam juntas. São pilares da carreira, não importa qual o nível de status e responsabilidade que você alcance. Ao não ser desassociada, a Ética confere à Educação um papel muito maior do que ser apenas um conjunto de informações e técnicas para serem aplicadas.

Falo da Educação 360°, que não é somente válida para conduzir e avaliar o desempenho profissional. Educação 360° pressupõe:

1. Durante a educação formal, dar a devida importância para disciplinas muitas vezes consideradas coadjuvantes, principalmente na área de humanas. Cito os exemplos de sociologia e história econômica. As humanidades serão as mais importantes quando você exercer cargos que exigem gestão para resultados em qualquer área de atuação;

2. Leitura. A leitura é fundamental. É um fator de produtividade por proporcionar visão de mundo e possibilitar intuir sobre questões do dia a dia e de planejamento;

3. Curiosidade intelectual: quem não a possui sai atrasado na corrida profissional. Num mundo recheado de informação (diria até “massacrado” por informação), quem não a tiver corre o risco de não saber transformar dado em informação. Não precisamos de mais um ativo morto, mas sim de um recurso dinâmico e passível de ser usada no dia a dia;

4. Ética no relacionamento deve prevalecer sempre. É o meio pelo qual você ganha credibilidade, independente do que faz;

5. Respeito humano: cultive valor como altruísmo, generosidade, tolerância e transigência. Não é sinal de fraqueza. Eu sou mais lembrado pelas minhas atitudes do que pelas minhas realizações técnicas.

Uma carreira completa é feita por profissionais com uma visão mais ampla de mundo. Um mundo que não é segmentado, mas integrado. Um mundo de pessoas realizadas e felizes. Este é um bom caminho a seguir, que pressupõe etapas a serem seguidas.

 

Onde estão as maiores chances de emprego em 2011

 

Shutterstock

 

Setor de infraestrutura é um dos mais carentes de talentos

Procuram-se engenheiros, gestores e desenvolvedores de negócio

O número de anúncios como este (não escrito dessa maneira) aumenta exponencialmente nas agências e consultorias de Recursos Humanos do país. E não sem motivo. Com a economia aquecida e o Brasil apostando em grandes projetos como o pré-sal, há uma demanda crescente por profissionais da área de Óleo e Gás, Tecnologia da Informação (TI) e Comunicação. A disputa por profissionais é grande. E se o candidato preencher os requisitos de competências - como flexibilidade e iniciativa - é emprego praticamente garantido. A remuneração também tem ficado mais atraente. "As pessoas que têm todas as características que o mercado procura, certamente vão ganhar mais, porque as empresas precisam reter seus talentos"

"Os dados da economia são muito promissores". “O Brasil é o país onde as coisas estão acontecendo, onde estão as oportunidades. Então, é claro que as empresas querem apostar suas fichas por aqui, o que deixa o mercado profissional aquecido”.

De longe, a área de Óleo e Gás deve se destacar como celeiro de oportunidades. “O pré-sal vai gerar necessidades de conhecimento que até pouco tempo não existiam”. Tudo no pré-sal é superlativo: a exploração do pré-sal vai precisar de 40 navios-plataforma (FSPOs) e somente a descoberta da reserva de Libra, na Bacia de Santos, pode gerar até 15 bilhões de barris de óleo. São oportunidades para engenheiros, técnicos e especialistas em análise. “Vamos precisar de engenheiros e geólogos, mas também de profissionais para lidar com os elementos químicos que são uma necessidade de áreas que fazem parte da cadeira produtiva do petróleo”.

As multinacionais e grandes empresas não vão deixar passar essas oportunidades, o que sinaliza um mercado aquecido durante muitos anos. “Há espaço para crescer e se desenvolver não apenas nas posições de gerência geral e diretoria, mas também de coordenadora, análise e engenharia de projetos”.

Outro setor aquecido é de geração e transmissão de energia elétrica. Somente no primeiro semestre do ano estão previstos três leilões de hidrelétricas, além do início de construção da usina de Belo Monte, no Xingu. No Paraguai, empresas brasileiras disputam a licitação de uma subestação de Itaipu. O país tem conhecimento difundido na construção e geração de energia a partir de usinas hidrelétricas, mas agora há outras possibilidades, como energia eólica, que demandam diferentes tecnologias.

A Copa é nossa

 

Wikimedia Commons

Copa do Mundo de 2014: um dos aceleradores das constratações nos próximos anos

Ao crescimento do país – previsto para algo entre 4,50% e 5% este ano – somam-se os eventos pontuais, como Copa do Mundo em 2014 e a Olimpíada de 2016, movimentando os setores de infraestrutura, varejo e serviços.

As grandes redes hoteleiras estão em plena expansão. Dos 15 hotéis construídos pela Accor na América Latina nos últimos dois anos, nove estão no Brasil. O Ibis anunciou em dezembro a inauguração de 51 hotéis no país até 2015. “Somente na chamada rota do petróleo, na Baixada Fluminense, estão sendo construídos 11 hotéis”. “Se você pensar ainda na necessidade de aeroportos, rodovias e portos, já se pode prever uma demanda enorme por engenheiros especialistas, engenheiros mecânicos. Em áreas de hotelaria e eventos, vamos precisar de tudo, pessoas com formação prática e teórica.”

O aumento de renda da população fez disparar o consumo interno no ano passado, marcando recorde na venda de veículos, que cresceram praticamente 12% frente a 2009. O varejo cresceu 8,25%. Para chegar ao consumidor, as empresas procuram profissionais de marketing capazes de entender o produto, assimilar rapidamente as mudanças do mercado (marcado por fusões e abertura de capital) e que saibam lidar com novas tecnologias.

“As empresas estão passando por grandes transformações, como fusões e reestruturações e precisam pensar em sinergia para se fortalecer”. O mesmo vale para o setor financeiro, que ampliou sua demanda por consultoria e conhecimento diferenciado do mercado. ”O profissional que souber usar estatística combinada a aplicativos da internet de forma positiva tem como oferecer grandes chances de negócios à empresa”.

Para sustentar esse crescimento, a área de tecnologia será mais exigida do que em anos anteriores. Os sistemas vão redesenhar a estrutura das empresas. Novos projetos surgem diariamente nas companhias, que vão em busca de desenvolvedores de negócios. “Esse profissional ajuda a abrir portas, uma tarefa muito importante para a organização”, houve um aumento de 60% na busca por esse profissional no mercado.

Transformar qualquer ideia em resultado palpável ainda é um desafio para as empresas, que após o susto da crise financeira voltaram a investir em inovação, pesquisa e desenvolvimento. E o profissional que compreender melhor as mudanças de cenário e aprender a tomar decisões mais rapidamente sai na frente. “Antes, se o profissional tinha diploma, era o mesmo que garantir o emprego. Agora ele precisa aprender a usar sua experiência, seu conhecimento, sua cultura e sua iniciativa para resolver um problema e gerar resultados”.

Na nova ordem, os valores pessoais podem se alinhar aos da empresa. "Logo logo não teremos mais organogramas nas organizações e sim redes de relacionamento. O profissional do novo século, portanto, tem que mostrar sensibilidade e alinhar seu propósito de vida com a organização, deixar de pensar de uma maneira segmentada. Com isso, as empresas se tornam o principal espaço no mundo para que as pessoas expressem o melhor de si.” 

 

Profissões em alta em 2011 (2012, 2013, 2014...)

 

Veja que profissões estarão com alta demanda do mercado

Engenheiro
É consenso do mercado: está faltando engenheiro no Brasil. Pesquisas indicam que existe hoje uma deficiência de 50 mil profissionais por ano. Para abastecer o mercado, as empresas estão repatriando profissionais e buscando estrangeiros para preencher vagas especializadas. As ofertas estão por todo lado: óleo e gás, energia, infraestrutura, é só pensar que tem alguma empresa contratando. E pagando bem.

Geólogo
O pré-sal e o setor de mineração estão em busca de profissionais capacitados para início imediato. Será que as palavras Petrobras e Vale dizem alguma coisa?

Gestor de Projeto
Profissionais de Project Management, o título em inglês, estão em alta demanda. Podem cuidar da implantação e acompanhamento de projetos dentro da empresa. Ou ainda acompanhar o processo de mudança dentro da estrutura organizacional das empresa, cuidando para que seja vista de forma positiva. Com trabalho e com o tempo, podem transformar a mudança em cultura. Ponto para o profissional e para a empresa.

Gestor de Inovação/Conhecimento
Áreas tidas como back off da empresa, como TI e Recursos Humanos, querem mostrar valores agregados. Segundo os gurus do mercado, nos próximos quatro anos haverá um total de 4 mil novas posições que não existiam e que surgirão a partir dos processos de mudança. Portanto, quanto mais conhecimento, maior capacidade de inovação, melhor.

Gestor de risco
Esse profissional nem sempre faz parte da operação, mas pode apostar que estão no conselho de RH, na governança da companhia. Empresas que não percebem rapidamente as mudanças do mercado podem ficar para trás. E esse gestor tem obrigação de apontar o caminho, mostrar que ninguém mais faz apenas uma tarefa e ajudam a tomar as melhores decisões.

Gerente/Analista de Serviços Quantitativos
Ótima vaga para matemáticos, estatísticos e profissionais que utilizam análise para leitura dos dados. Esse profissionais precisar perceber, absorver informações e buscar certos padrões para ajudar o cliente a tomar decisões muito melhores. Antes, esse trabalho era baseado apenas em experiência. Lembra?

Desenvolvedor de Negócios
Consultorias apontam crescimento acima de 60% na busca por esse profissional. A demanda continua aquecida nos próximos anos. Por quê? O desenvolvedor é responsável por abrir portas, buscar oportunidades e novos negócios. Empresas de varejo que querem ampliar vendas precisam contratar um. Para garantir o futuro, network é a palavra-chave.

Analista/Gerente/Coordenador em Comunicação
A estrutura da área de Comunicação ganhou muita importância. Dá para entender: estamos falando da imagem da companhia e de como ela quer ser vista, qual sua mensagem. Empresas que têm um gerente de Comunicação buscam mais analistas. Se a área não está organizada, é preciso contratar um coordenador. E se a ideia é melhorar o serviço, vamos atrás de um gerente. Percebeu?

Técnico/Especialista
Em tudo, mas principalmente em mineração, óleo e gás, energia, infraestrutura, serviços, varejo, pesquisa e desenvolvimento. O país está crescendo rapidamente e esses profissionais de nível médio vão usar seu conhecimento para empresas que, brevemente, estarão batendo recorde de produção e exportação.

Médico/Fisioterapeuta/Especialista em Saúde
Na verdade, todos os profissionais ligados ao conceito de bem estar e de viver com mais saúde e equilíbrio terão lugar no mercado. A área de prevenção de doenças cresce à medida que as pessoas vivem mais. Profissionais do chamadohome care vão cuidar de uma população mais idosa tanto aqui quanto lá fora.

 

Características que definem o profissional de sucesso

 

Se você acha que está com emprego garantido porque o mercado de trabalho está aquecido e sua área de especialização não para de contratar, pense duas vezes: segundo os consultores de Recursos Humanos, as empresas hoje tomam decisões baseadas nas atitudes do entrevistado. Nesse ponto, o currículo ajuda, mas ter iniciativa, demonstrar capacidade de se adaptar a novas situações e multifuncionalidade podem ser determinantes para assegurar a vaga.

Seja flexível
Aprender a se adaptar a novas situações, sistemas e mudanças dentro da empresa é fundamental para o profissional de sucesso. É importante entender o contexto, o cenário para escolher qual parte do seu repertório deve ser acionada naquele momento. Se essa característica vier combinada com sociabilização, melhor ainda. Pense que você pode ser um agente motivador de mudanças dentro da estrutura e um futuro líder.

Saiba inovar
Ter uma visão abrangente a capacidade de aglutinação de ideias e conceitos, além de explorar novas possibilidades é fundamental. Mas lembre-se: o mais importante é aprender a transformar a ideia em resultado perceptível para a empresa.

Tome decisões rapidamente
Reagir com rapidez e eficiência diante de um problema é o grande desafio do profissional. Todas as grandes empresas e universidades como Wharton e Pittsburgh trabalham com cases em que uma decisão rápida fez toda a diferença para a companhia.

Seja multifuncional
A geração Y faz isso naturalmente, mas com iniciativa, treinamento e dedicação, todo profissional pode aprender a trabalhar em várias partes de um processo, vários projetos, em que não apenas vai aprender mais sobre si mesmo e sobre o mundo, mas também será capaz de aglutinar conhecimento.

Pense fora da caixa
Criatividade é um dom, mas sem exercitar, o cérebro não chega a lugar algum. É importante olhar para as coisas de forma diferente e compartilhar sua visão com seu grupo. A organização é o resultado final de um processo de motivação em que as pessoas apresentam suas melhores ideias e soluções. A partir daí surgem os insights, que aprimoram o trabalho.

Demonstre iniciativa
Vontade de fazer e determinação para finalizar são a marca de um profissional de primeiro nível. Se sentir que há espaço para opinar e desenvolver, tome a iniciativa. Novos modelos de gestão incentivam os funcionários a se tornarem capitães de seus projetos – o que, em última instância, é o melhor caminho para criar um líder.

Vá em busca de conhecimento
Ficar satisfeito com sua bagagem é pensar pequeno. Seja curioso e esteja aberto a novidades, novas tecnologias e linhas de pensamento. Ler bastante e utilizar a internet e as redes sociais de maneira inteligente são a melhor forma de enriquecer a mente e suas conversas na hora do café.

Seja perspicaz
Ajuda bastante ter uma visão de conjunto, sem ficar compartimentalizado, na linha “eu faço o meu e só”. Ninguém vai adiante com esse pensamento. Estamos falando de bom senso também. Perceber para que lado se encaminham as decisões ajuda a preservar o emprego em momentos de crise e pode ser o diferencial na hora da promoção.

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...