Tecnologia – Principais acontecimentos de 2010

ScreenHunter_01 Jan. 03 18.14

1º - Lançamentos avassaladores: Filas quilométricas. Faça chuva, sol, granizo... lá estão os fãs da Apple acampados à meia-noite para serem os primeiros a saírem por aí passeando com um brinquedinho novo. O iPad levou turbas de consumidores às lojas a cada nova leva de países ''contemplados'' pelas vendas da Apple – e no Brasil não foi diferente, apesar da chegada tardia do tablet em dezembro. Em todo mundo, até o fechamento do 3º trimestre fiscal, a empresa de Steve Jobs tinha vendido 4,1 milhões de unidades do iPad. E em 2011, prepare-se: vem aí o iPad 2...
Na foto, o japonês Takechiyo Yamanaka, 19, que passou vários dias na fila da Apple Ginza, em Tóquio, para ser o primeiro a comprar um iPad, em junho deste ano

ScreenHunter_02 Jan. 03 18.19

1º - Lançamentos avassaladores: Se fosse para eleger o lançamento mais conturbado e, ao mesmo tempo, o de maior sucesso, o iPhone 4 ganharia de lavada. Tudo porque um engenheiro da Apple fez o favor de esquecer um protótipo do smartphone num bar em Redwood City, próximo à matriz da Apple, em Cupertino, Califórnia. O aparelho foi parar nas mãos dos editores do blog Gizmodo, que logo tratou de publicar vídeos e fotos do iPhone 4.
A história virou caso de polícia (autoridades chegaram a apreender computadores de Jason Chen, editor do site), porque o protótipo havia sido roubado e depois vendido ao blog (que alegou que não sabia do fato). Enfim lançado o iPhone 4, a Apple passou outro apuro, com os problemas de recepção de sinal da antena do aparelho – o Antennagate. Mas a história tem final feliz para Jobs: a Apple vendeu, entre todos os modelos de iPhone, mais 14 milhões de unidades.
Na foto, brasileiros fazem fila em shopping de São Paulo, na madrugada do lançamento do iPhone 4 no país, em setembro de 2010

ScreenHunter_03 Jan. 03 18.21

1º - Lançamentos avassaladores: Agora, assistir a um filme em 3D não é exclusividade de quem vai ao cinema. Em 2010, as principais fabricantes de TVs do mundo lançaram televisores com a tecnologia que marcaram presença nas maiores feiras do mundo do setor, CES, Cebit e IFA. O único problema dos aparelhos é o preço salgado: no Brasil, uma TV 3D tem preços que começam de R$ 5 mil

ScreenHunter_04 Jan. 03 18.22

1º - Lançamentos avassaladores: Os e-readers finalmente deslancharam em 2010 e muito do mérito é da Amazon e seu Kindle, que popularizou o conceito de leitura digital. E, como pioneira, ainda deixa a concorrência no chinelo: lançou neste ano a terceira geração do seu leitor de livros eletrônico: pequeno, leve e barato (ao menos, nos EUA). Ele é 21% menor que o modelo anterior, pesa 240g e custa US$ 140. No mercado, brigam com a Amazon a Barne&Noble (Nook), Sony (Reader), Gato Sabido(Cool-er), Positivo (Alfa), entre outras marcas

ScreenHunter_05 Jan. 03 18.23

1º - Lançamentos avassaladores: Controle um jogo sem um... controle. O Kinect, da Microsoft, é um acessório para o XBox 360 que lê os movimentos do corpo do jogador. Em outras palavras, o joystick é você. O sucesso do Kinect é tanto que, em menos de um mês, foram vendidas 2,5 milhões de unidades do dispositivo. Seu rival, o Sony Move, vendeu 1 mihão de unidades em um mês... o iPad, tablet que virou febre no mundo, teve 2 milhões de unidades vendidas... mas em dois meses. No Brasil, o Kinect é vendido por R$ 599

ScreenHunter_06 Jan. 03 18.24

2º - Guerra dos smartphones: Não faltaram em 2010 modelos novos de smartphones: com tela touch, com teclado QWERTY, câmeras potentes... Todo mundo quer sua fatia nesse ''polpudo'' mercado. Apesar do enorme sucesso do iPhone, ele ainda não dá o primeiro lugar do maior fornecedor de celulares do mundo para a Apple. Dados do IDC apontam a Nokia ainda na primeira posição como maior fabricante, seguida da Apple, que recentemente ultrapassou a RIM (Blackberry), agora em terceiro

ScreenHunter_07 Jan. 03 18.25

2º - Guerra dos smartphones: Outra batalha nesse mercado é a dos sistemas operacionais: o Android lidera, segundo o Gartner, com 25% do mercado, seguido do iOS da Apple, com 17%, e BlackBerry OS, com 15%. Para dar uma apimentada na disputa, vem aí em 2011 o Nexus S, do Google... se cuida, Apple!

ScreenHunter_08 Jan. 03 18.26

3º - Os piores #fails técnicos: A baleia azul do Twitter já virou uma mascote bem mais popular que o passarinho do microblog. De falhas técnicas que causaram indisponibilidade do serviço a ataques que bagunçaram a interface, os tuiteiros experimentaram de tudo um pouco. Na foto, o adolescente australiano que divulgou a vulnerabilidade que provocou confusão no Twitter em setembro: não houve roubo de senhas dos perfis, mas alguns usuários foram redirecionados a sites pornográficos

ScreenHunter_09 Jan. 03 18.27

3º - Os piores #fails técnicos: O que se espera da maior rede social do mundo, com mais de 500 milhões de usuários no mundo? Funcionamento impecável? Em 2010, o Facebook experimentou uma das piores falhas em sua existência. Tudo porque um sistema que devia checar falhas ''bugou'', gerou mais erros e fez a rede social ficar fora do ar por duas horas e meia, sem contar as instabilidades anteriores

ScreenHunter_10 Jan. 03 18.27

3º - Os piores #fails técnicos: Imagine pagar caro por um smartphone e simplesmente não conseguir usá-lo para sua função primordial, a de celular. Foi o que aconteceu com o iPhone 4. Logo que os primeiros americanos conseguiram comprar o aparelho, começaram a pipocar reclamações sobre falhas na recepção do sinal da rede celular, quando segurado com a mão esquerda. Alguns usam fita isolante na tentativa de resolver o problema.

ScreenHunter_11 Jan. 03 18.28

4º - Os piores #fails estratégicos: A Microsoft bem que tentou, mas o seu modelo de smartphone, o KIN, voltado para redes sociais foi um grande fiasco. Não chegou a vender nem 10 mil unidades, ficou apenas seis semanas à venda nos EUA e deu um prejuízo de US$ 240 milhões à empresa.

ScreenHunter_12 Jan. 03 18.29

4º - Os piores #fails estratégicos: Mas a Microsoft não foi a única a tropeçar: o Google também não conseguiu emplacar o seu Nexus One, lançado em janeiro deste ano. Em julho, a empresa suspendeu as vendas do smartphone, que trazia tela sensível ao toque, câmera de 5 megapixel e rodava Android 2.1. O fracasso é atribuído à forma com que a empresa decidiu vender o aparelho, exclusivamente pela internet: os consumidores deram preferência a celulares que podiam testar nas lojas antes de comprar

ScreenHunter_13 Jan. 03 18.30

4º - Os piores #fails estratégicos: Lançado em fevereiro desse ano, o Google Buzz era um misto de Twitter com Gmail. Mas a ferramenta não caiu no gosto dos usuários e, pior, causou a ira de muitos ao gerar automaticamente uma lista pública de seguidores dos perfis. O Google alterou então os controles de privacidade do Buzz, mas não escapou de um processo, movido por uma moradora da Flórida. A proposta de acordo para que a ação seja liquidada é de US$ 8,5 milhões. Conta cara para um serviço nada popular...

ScreenHunter_14 Jan. 03 18.29

4º - Os piores #fails estratégicos: A ferramenta de colaboração e comunicação do Google, que juntava numa só interface e-mail, mensagens instantâneas, blogs, wikis e compartilhamento de documentos, não empolgou. O Google Wave continua no ar até o final deste ano, mas a empresa decretou seu fim em agosto pela ferramenta não ter alcançado o sucesso esperado

ScreenHunter_15 Jan. 03 18.30

4º - Os piores #fails estratégicos : O Chatroulette conseguiu, em questão de meses, passar do Olimpo ao limbo. O serviço que conecta desconhecidos em um chat com webcam chegou a crescer 45.700% nos primeiros três meses de funcionamento, alcançando 1,5 milhão de usuários. Mas a superpopulação de usuários ''pelados'' afastou o público. O Chatroulette chegou a cogitar a utilização de um software que identificaria fotos com órgãos genitais e direcionaria o usuário imediatamente para a foto seguinte. Mas os esforços foram em vão. O site lançou uma segunda versão em agosto, mas continuou agonizante

ScreenHunter_16 Jan. 03 18.31

5º - Engasgos da banda larga fixa e móvel no Brasil: A situação da internet rápida no Brasil reflete a desigualdade do país. Segundo o Ipea, dos 58 milhões de domicílios existentes no Brasil, 79% não têm acesso à internet (46 milhões). A maior parte dos internautas se concentra nas regiões Sul e Sudeste. Nos domicílios que contam com banda larga, a velocidade de acesso é menor ou igual a 1 Mbps. E o preço pago pelo serviço é alto.

ScreenHunter_17 Jan. 03 18.31

5º - Engasgos da banda larga fixa e móvel no Brasil : Outro problema do país é a rede 3G: uma pesquisa feita pela consultoria Teleco em parceria com a Huawei Technology apontou deficiências de velocidade oferecida, na latência e na visualização de vídeos nas 12 cidades que receberão os jogos da Copa

ScreenHunter_18 Jan. 03 18.53

6º - Quiproquó da privacidade na internet : Você pode achar o Google Street View muito bacana, mas saiba que o serviço desagrada uma parcela considerável de usuários no mundo. Só na Alemanha, 240 mil pessoas pediram para que as imagens das suas casas fossem borradas antes do lançamento da ferramenta no país.
Outro grande problema envolvendo questões de privacidade aconteceu em maio deste ano, quando o Google anunciou que sua frota de carros, responsável por tirar fotos ao redor do mundo para o serviço Google Street View, ao longo dos anos acidentalmente coletou também informações pessoais enviadas por redes WiFi – o que, segundo especialistas em segurança na Web, pode incluir e-mails e senhas. Vários países iniciaram processos para apurar o caso, entre eles França, Reino Unido, Itália e Espanha. No Brasil, o serviço foi lançado em setembro.

ScreenHunter_19 Jan. 03 18.54

6º - Quiproquó da Privacidade na internet : O Facebook também foi bombardeado de críticas quanto aos controles de privacidade e segurança da rede. A principal reclamação dos usuários foi a respeito do uso de informações dos seus perfis pelos aplicativos de terceiros da rede – e com fundamento. Usuários de 10 dos principais aplicativos da rede tiveram dados pessoais vazados para empresas de publicidade e propaganda nos EUA e, por isso, o Facebook enfrenta processos no país. Pelo menos, a rede social mudou neste ano as configurações de privacidade, que deram mais controle aos usuário sobre quais informações querem compartilhar

ScreenHunter_20 Jan. 03 18.55

7º - Habemus Marquinho!: Homem do ano ou arroz de festa? Sendo admirador ou não de Mark Zuckerberg, é preciso admitir que neste ano ele ganhou muitos cliques de ''Curti'' em sua página. O atual CEO da rede social virou quadrinhos, máscara de Halloween e... filme (em cartaz no Brasil). A popularidade do jovem fundador do Facebook só não é maior que sua fortuna pessoal: ele já é o 35º homem mais rico do mundo, segundo a Forbes. Mais que Steve Jobs (42º)

ScreenHunter_21 Jan. 03 18.55

8º - Brasil cai nas graças das redes sociais : Somos o país que mais usa o Twitter na América Latina. No Orkut, temos 53 milhões de perfis. O Facebook por aqui cresceu seis vezes em audiência: já tem 9 milhões de visitantes únicos, segundo a comScore. Tanta gente em tanta rede não podia dar em outra coisa: #calabocagalvao, #KakaBadBoy, #serracomedor, #bolinhadepapel, #dilmanao... teve até denúncia de tuítes pagos em dia de debate

ScreenHunter_22 Jan. 03 18.56

9º - De cara nova : O Twitter apresentou em setembro o novo layout da rede social, que permite a visualização de fotos e vídeos sem necessidade do usuário sair da página onde lê os tuítes. A mudança gerou até um boato na rede, de que havia convites circulando para quem quisesse adotar o novo perfil

ScreenHunter_23 Jan. 03 18.58

9º - De cara nova : ''O DNA do Orkut mudou'': a rede social mais popular no Brasil e fez mudanças em agosto para ''se tornar uma ferramenta para reunir círculos sociais diferentes e não apenas ''amigos'' indistintamente''. A rede passou a criar grupos de contatos automaticamente, com os quais é possível compartilhar informações separadamente. O perfil ganhou abas e todas as atualizações foram levadas para uma mesma timeline

ScreenHunter_24 Jan. 03 18.59

9º - De cara nova : Outro a mudar de visual foi o Facebook. Em outubro, foram lançados os Grupos, páginas que reúnem atualizações de contatos organizados pelos usuários (além de ser possível agora compartilhar links, documentos e fotos apenas com essas listas). Em dezembro, aconteceu a mudança dos perfis, que passam a ter uma minibiografia no topo da página, além de já mostrar fotos em que o usuário foi marcado pelos amigos

ScreenHunter_25 Jan. 03 19.00

10º - Não há segredo na rede : Até poucas semanas, talvez você nunca tivesse ouvido falar no Wikileaks. O site da organização sem fins lucrativos existe desde 2006 (em 2009, passou por uma grave crise financeira e quase capitulou) e resolveu divulgar de uma só vez 250 mil mensagens diplomáticas secretas do governo dos Estados Unidos. Muitos dos documentos revelados causaram um grande mal estar com nações aliadas aos país, por conter críticas diretas aos seus governantes.
Antes desse escândalo, o Wikileaks já tinha atraído a atenção dos EUA com a divulgação de 91 mil documentos secretos relacionados à ocupação americana no Afeganistão. Julian Assange, criador do site, acabou preso no Reino Unido, sob a acusação de estupro. Vários sites deixaram de prestar serviços ao site -- como Visa, Mastercard e PayPal, que suspenderam pagamentos -- e sofreram ataques de hackers que apoiam o Wikileaks

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...