Viagem a dois: estopim para o fim do relacionamento?

Viagem a dois estopim para o fim do relacionamento

A fase do namoro é uma das mais gostosas. As características positivas dos envolvidos sempre prevalecem e o foco principal é impressionar o parceiro com palavras bonitas e boas ações.

Mas com o tempo, as máscaras caem. E, muitas vezes, o príncipe vira sapo. Ou a princesa vira abóbora.

E não pense que é só o dia a dia que ajuda o casal a se conhecer melhor e a enxergar os defeitos um do outro. Uma viagem pode aquecer ou esfriar de vez um namoro. "Este é um momento de convivência 24 horas. Ajuda o parceiro a perceber como a outra pessoa realmente é, quais são seus hábitos e atitudes".

Uma viagem a dois pode acontecer em qualquer momento do relacionamento e namoros de longo prazo chegam ao fim por conta dela. "Há casos de namorados que, em viagens de fins de semana ou um pouco mais longas, terminaram assim que voltaram do passeio".

As mulheres se decepcionam com a educação dos homens. "Elas vêm me contar que terminaram um relacionamento porque os parceiros maltrataram garçons, não deram gorjeta, dividiram um refrigerante ou prato de comida que era para uma pessoa, desrespeitaram filas e fizeram pouco caso de pessoas humildes".

Já parte dos homens alegaram que o namoro chegou ao fim porque a mulher passou a viagem inteira fazendo compras ou horas definindo qual roupa usar. Há casos de mulheres que compravam o que viam pela frente e deixaram a conta para o homem pagar. "Um deles me contou que a namorada entrou em uma loja e comprou quatro óculos da grife mais cara".

Planejamento: palavra de ordem
Como todas as coisas na vida, para dar certo, a viagem precisa de planejamento. Tudo começa com a definição do destino. "Os casais precisam sentar e conhecer os gostos dos parceiros. Se uma das partes não gosta de praia, não adianta fazer uma viagem para este tipo de local". "Um lugar que os dois desejam conhecer ou que gostem pode ser uma boa opção também".

Outro ponto importante é definir os gastos da viagem, ou seja, quem vai pagar o que. "É preciso deixar claro quem vai bancar a viagem ou se cada um vai pagar a sua passagem. E mais: não adianta um querer ir para Paris se o outro não pode pagar". E antes de sair de casa, o casal deve traçar o roteiro. Sabendo os lugares por onde vai passear e comer, assim fica mais fácil arrumar as malas. "Tudo deve ser discutido antes". E se algo der errado, o jeito é bater um papo de maneira civilizada. "Casais já conseguiram se reconciliar. Uma das partes percebeu que estava errada e decidiu mudar. Mas quando o homem ou a mulher não reconhece as falhas, fica difícil retomar o namoro".

Uma das formas de se evitar decepções e brigas durante uma viagem que tem tudo para ser uma pré-lua de mel, é colocar em prática a palavra respeito. "Não imponha suas vontades. Se sua namorada não gosta de jogo de futebol, proponha que ela vá comprar neste período, uma vez que você pode não gostar desse tipo de passeio. Outra opção é ceder: você vai com ela ao teatro e ela vai com você ao jogo de futebol. Não é só porque esta é uma viagem a dois que o casal precisa ficar grudado o tempo todo".

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...