Como evitar a otite e a brotoeja

Aos primeiros sinais de infecção no ouvido, procure um especialista

 

Calor e banhos de mar e piscina ajudam a aumentar os riscos

Infelizmente, o verão não é marcado apenas por momento de alegria e prazer. Os riscos de adquirir algumas doenças também aumentam e, muitas vezes, podem comprometer férias, viagens e outras situações agradáveis. Portanto, é preciso se cuidar.

De acordo com os especialistas, duas doenças que merecem atenção nesta época do ano são a otite e a brotoeja, que têm sua incidência aumentada por causa do calor e de alguns hábitos inevitáveis no verão.

Termo utilizado para designar as infecções do ouvido, a otite, por exemplo, pode ocorrer em virtude da entrada de água da piscina ou do mar no ouvido enquanto as pessoas estão nadando e se refrescando. Para evitar o problema, a medida mais eficaz é utilizar protetor auricular macio no ouvido nessas ocasiões.

De acordo com os médicos, o principal sinal do problema é um desconforto na região do ouvido. A dor tende a aumentar rapidamente, chegando a níveis quase insuportáveis.

Em situações iniciais, recomenda-se que as pessoas coloquem uma compressa com água morna ou um pano passado com ferro quente na orelha que estiver doendo. Em alguns caos menos graves a dor cessa em cerca de 20 minutos. Evite, por exemplo, pingar qualquer coisa no ouvido sem indicação médica.

Outra dica é não utilizar aquelas hastes flexíveis com algodão nas pontas para limpar a região. A limpeza deve ser feita com uma gaze ou outro material de pano macio, apenas na parte externa do ouvido. O ideal, obviamente, é procurar um médico especializado o quanto antes, para que ele possa indicar o tratamento mais adequado dependendo do estágio do problema.

Outra doença muito recorrente no verão são as brotoejas, aquelas erupções que acontecem nas dobras do corpo e que se caracterizam pelo aparecimento de bolhinhas de água vermelhas nessas regiões, gerando uma coceira.

A brotoeja ocorre geralmente devido ao excesso de suor em regiões do corpo em que há dobras, como o pescoço. De acordo com os especialistas, esse suor obstrui os poros, fazendo com que a pele fique bem irritada. Como forma de prevenção, eles recomendam que as pessoas evitem permanecer por muito tempo em ambientes fechados e mal ventilados, não tomem banhos com água muito quente e mantenham a casa bem arejada.

Caso você ou algum conhecido apresente sintomas da doença, a dica é manter a região sempre bem limpa ao tomar banho. Evite, por exemplo, passar o sabonete sobre as feridas, dando preferência à forma líquida do produto. No entanto, a atitude mais correta mesmo é procurar um médico assim que aparecerem os primeiros sinais.

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...