Depósitos de carros com pendências judiciais estão lotados em SP

Ao menos 135 mil carros apreendidos apodrecem nestes pátios.
Donos de depósitos particulares procuram uma saída para o problema.

ScreenHunter_02 Feb. 07 13.20

Em São Paulo, os depósitos de carros velhos, utilizados em crimes ou apreendidos com dívidas estão lotados. Um problema que poderia ser resolvido se a Justiça agisse rápido e autorizasse a reciclagem.

Sucata agora é criadouro de mosquitos em uma chácara. Pelas contas do governo de São Paulo, 135 mil carros com pendências judiciais apodrecem ou alimentam a indústria do desmanche em dezenas de depósitos particulares, que sequer deveriam existir.

Enquanto os processos contra os donos dos carros se arrastam, ninguém pode tirar uma única peça destes depósitos sem cair em contravenção. É mais um daqueles casos em que a ineficiência do "Brasil oficial" acaba viabilizando e até estimulando o "Brasil ilegal".

Legalmente, Ralfson Maia é um "fiel depositário", alguém que recebe a missão de proteger algo que não lhe pertence. Nesse caso, são os carros que foram usados em crimes ou que são objeto de alguma ação judicial. Segundo ele, tudo começou há seis anos, no jeitinho.

"Era feito o seguinte: você conhecia um delegado, o delegado te chamava e dizia ‘Olha, você tem um pátio, você quer trabalhar com a gente, não sei o quê’. Aí ele baixava uma portaria na delegacia, também na amizade", contou Maia, dono de um depósito.

Maia montou quatro pátios e não foi capaz de proteger o patrimônio. “Várias vezes teve assalto aqui. Não dá para contar”, disse. Só que a qualquer momento a Justiça pode exigir os carros de volta, do jeito que estavam antes. “Me enganei e entrei numa roubada legal, pensando que ia ganhar dinheiro”, lamentou Maia.

Um outro pátio virou central de desmanches. O portão foi arrombado várias vezes e nem a dona tem coragem de entrar. "Tem os bandidos lá dentro. Não posso porque não tenho onde colocar os carros”, disse a proprietária, que não quis ser identificada.

O governo de São Paulo diz que vai regularizar os depósitos particulares. Vai haver pátios privados, mas privados por conta de licitação. O primeiro passo é um acordo entre a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o Ministério Público e a Justiça para tirar dos pátios e reciclar quatro mil carros.

E quem achou que poderia se aproveitar das brechas da lei, agora procura uma saída para esse matagal de irregularidades. “A vontade que eu teria era por os carros nas portas das delegacias, só que seu eu fizer isso, se some um carro, aí eu estou danado mais ainda. Porque aí vão falar que o carro sumiu e a responsabilidade é toda minha”, disse Maia.

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...