Distância pode influenciar escolha do emprego

Para especialista, muitas pessoas recusam propostas dependendo da região

 

A distância pode ser um fator que influencia na escolha do emprego, tanto para o funcionário como para a empresa que está contratando. Segundo a recrutadora da RH Brasil, Adriana Diniz, muitas pessoas recusam algumas propostas dependendo da região. Outras optam por um horário diferenciado para evitar o trânsito. “Tenho casos que preferem trabalhar durante a noite justamente para ir mais rápido para o emprego”, conta.

Mesmo quem está desempregado faz este tipo de escolha, analisa Adriana. “Morar próximo à residência é um fator avaliado por todos.” De acordo com ela, as próprias empresas chegam a recursar candidatos quando eles moram muito longe, pois sabem que chegarão cansados e estressados, atrapalhando a produtividade.

Claro que é sempre complicado recusar uma proposta de trabalho. “Se o profissional não está colocado no mercado e é selecionado para uma vaga, ele tem que levar isso em consideração”, afirma Jane Souza, consultora de RH do Grupo Soma Desenvolvimento Corporativo. “Mas muitas vezes eles abrem mão da vaga, pois sabem que, pelo estresse, isso afetará na sua produção”. Por isso, as empresas tendem a procurar profissionais que tenham um meio de transporte que não impacte seu trabalho, destaca a consultora.

Os profissionais buscam empregos próximos as suas residências justamente para não piorar a pressão que já sofrem no trabalho. “Se a pessoa mora perto, ela pode aproveitar para conciliar o trabalho com outras atividades desde lazer até estudos”, acredita a gerente da V2 Recursos Humanos, Andréa Kuzuyama.

Jane ressalta que a distância pode ter impacto na qualidade de descanso e no estresse do funcionário. Há também a questão da empresa nessa situação. “Na hora da contratação, é importante levar em consideração o tempo que a pessoa levará para chegar ao local de trabalho, ou se, apesar de morar mais longe, tem fácil acesso àquela região.”

O que deve ser analisado

Na hora da entrevista, a distância é sempre considerada tanto pelo funcionário como pela empresa. “Pessoas que moram na região do trabalho ou de fácil acesso são os dois pontos analisados”, diz Jane Souza.

Segundo ela, quem está recrutando deve investigar o tempo que o funcionário vai levar para ir trabalhar e voltar. “Todos podem passar por situações incomuns, como um carro quebrado, chuvas ou acidentes, que podem afetar o tempo que levam no trajeto casa/trabalho. Mas se o funcionário mora longe essa probabilidade é maior.”

O salário, claro, influencia muito na hora da escolha do emprego. “Muitos até acabam se candidatando pelo salário, mas depois quando recebem uma proposta boa para um lugar mais próximo, desistem e deixam a empresa na mão”, avalia Adriana Diniz. Por isso, quando vai selecionar os candidatos, ela já faz uma triagem pela região de cada um.

Vantagens

Trabalhar perto de casa sempre é algo que a maioria almeja – com a intenção de melhorar a qualidade de vida -, mas pouca gente consegue. “Principalmente em São Paulo, evitar o estresse de trânsito é fundamental, já que o dia a dia é tão corrido”, analisa Andréa Kuzuyama.

“Se tiver a oportunidade de procurar algo perto de casa, sempre é mais saudável. É essencial ter uma boa qualidade de vida. A pessoa mais feliz produz mais e a empresa ganha mais”, diz.

Critério

A advogada Andrea Lopes, de São Paulo, conta que sempre trabalhou perto de casa e em locais de fácil acesso ao metrô. “Levo cerca de 15 minutos para chegar ao trabalho de carro e nos dias de rodízio posso utilizar o metrô. Tenho amigos que perdem mais de duas horas no trânsito todos os dias.”

A proximidade também permite que Andrea almoce em casa, o que para ela é uma grande vantagem. Andrea afirma que a localização não é um fator decisivo na hora da escolha do emprego. “Mas pode ser um critério de desempate caso eu tenha mais de uma proposta.”

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...