Hotel flutuante, Condomínio de luxo sobre o mar, Superjato

Um hotel flutuante para dar a volta ao mundo

Esta possibilidade está próxima de se materializar graças a SkyLifter, uma empresa tecnologicamente audaciosa que está aguçando a curiosidade de seletos sonhadores, tais quais Júlio Verne. Visionária como o escritor, a empresa com escritórios na Austrália e no Reino Unido, tem planos para criar aeronaves com áreas habitáveis que possam servir de superiates aéreos, com terraços entre as nuvens.

O mais audasioso deles é a aeronave SkyPalace, que promete ter as dimensões de um prédio de cinco andares, com total privacidade, conforto e segurança para até 50 hóspedes e 30 tripulantes. Em princípio, o edifício voador pode ir a qualquer lugar, deslocando-se em baixa altitude. Sem pressão de cabine, muito pouca vibração ou inclinação (menos que um iate), a aeronave também pode flutuar silenciosamente, com os motores desligados, se desejado.

Detalhes técnicos de seu mecanismo básico de funcionamento, capaz de sustentar e deslocar cargas de , em média, 150 toneladas, e suas aplicações estão em desenvolvimento para garantir uma experiência mágica e, acima de tudo, ecologicamente correta, utilizando biodiesel e coletores solares para gerar energia.

 

As aeronaves poderão voar pelos ares, sobre água ou terra firme de acordo com o gosto do cliente

O preço inicial do projeto está estimado em 80 milhões de libras, com custos baixos de combustível se comparados aos de um jato particular ou de um superiate. Feito sob encomenda, o prazo de execução do projeto é de, em média, três anos após a compra, incluindo o tempo de desenvolvimento e customização do dirigível.
Um pouco menos audacioso é o projeto do Global Nomad. A diferença é que este modelo não tem capacidade de voar com passageiros. Seu "edifífio portátil" precisa ser transportado por meio do mecanismo básico do balão e instalado onde o cliente desejar - em terra firme ou sobre a água - para depois receber seus hóspedes a bordo. O preço inicial estimado é de 6 milhões de libras.

 

Um condomínio de luxo sobre o mar

 

Viajar pelo planeta e participar dos eventos mais exclusivos do mundo, sem sair de casa. Essa é a proposta do Utopia, um supertransatlântico que já está em construção e será inaugurado em 2013. Ele não terá cabines, e sim apartamentos que serão vendidos de forma definitiva. A ideia é que o comprador de um dos 190 “imóveis” more dentro do navio. O topo de linha é o Utopian Estate, com quatro quartos e 614 m².

Com cinco opções de configuração, todos os apartamentos têm vista para o mar e já vêm mobiliados e decorados pela Tilberg Design, a mesma empresa responsável pelos interiores dos hotéis Ritz-Carlton. O preço dos apartamentos não são divulgados, mas sabe-se que a construção do navio está orçada em US$ 1,1 bilhão.

O navio terá 190 apartamentos de alto padrão, com até 614 m² cada

 

A decoração fica a cargo da Tilberg Design, empresa que projetou o interior dos hotéis Ritz-Carlton

 

Haverá também um hotel a bordo, com 206 suítes cinco estrelas

 

Quem não quiser comprar uma propriedade também poderá usufruir das facilidades do navio ao se hospedar em uma das 206 suítes do hotel cinco estrelas previsto no projetos. Os hóspedes e moradores serão atendidos por um complexo de lojas, restaurantes, cassino, médicos, spa, piscinas e uma oferta de serviços diferenciados, como personal shopper - caso você queira fazer compras numa das cidades que o navio irá visitar, mas esteja com preguiça de pisar em terra firme. A administração do Utopia também se encarregará de reservar limousines, helicópteros e barcos para que você chegue até ele. Não é preciso se preocupar com nada. Só em aproveitar a viagem.

Na primeira volta ao mundo do supertransatlântico estão previstas paradas na Espanha, onde os moradores poderão ver a chegada da America’s Cup - a maior corrida de veleiros do mundo; em Cannes, na Riviera Francesa, bem na época do famoso fesitval de cinema; e Dubai, para assistir ao campeonato de turfe.

Uma pausa na Escócia para assistir à parada militar de Edimburgo; em Hong Kong, para o Festival do Dragão; em Mônaco, para o Grande Prêmio de Fórmula 1; e Nagoya, no Japão, para acompanhar o campeonato de sumô também devem entrar no roteiro.

Os moradores passarão o Réveillon em Sidney, na Austrália, e o Carnaval no Rio de Janeiro. Também estão programadas visitas a Saint-Tropez, Jordânia, Quênia, Veneza, Alasca e dezenas de outros lugares, numa exploração ininterrupta do que o mundo têm de melhor.

 

Superjato de cara nova

Capaz de atravessar o Atlântico sem reabastecer, o superjato G250 ganha novo interior e comodidades

Jato Gulfstream G250: capaz de voar quase 6 300 km sem precisar reabastecer

Um dos jatos mais cobiçados pelos executivos por sua autonomia de voo de quase 6.300 km e velocidade de mais de 1.000 km/h, o Gulfstream G250 começa a ser entregue aos primeiros compradores no começo de 2011, depois de dois anos de espera pela máquina de US$ 24 milhões.

Mas quem fizer o pedido agora poderá contar com muito mais conforto e entretenimento a bordo. Apresentada pelo fabricante, a nova versão do interior da aeronave – desenhada para comportar até nove passageiros - traz poltronas de 63 cm de largura – 10 cm a mais do que os assentos de primeira classe dos aviões comerciais -, e opção de ter um sofá de três lugares na cabine de 7,6 m de comprimento por 1,85 m de altura – medidas 35% maiores do que em outros jatos de porte equivalente, segundo o fabricante.

 

Para passar o tempo ainda mais rápido, o G250 possui tocador de CD, DVD e Blu-Ray, além de sintonizador de TV via satélite e servidor de internet próprio, com 256 gigabytes de capacidade para armazenar vídeos e músicas. Como os monitores individuais de cristal líquido são todos interligados por conexões de fibra óptica é possível ver vídeos em alta definição (HD) sem nenhuma perda de qualidade.

O dono do avião terá acesso a ainda mais recursos. Em sua poltrona, chamada de "principal", há também um dock para recarregar as baterias de um telefone via satélite, de um iPhone ou iPod Touch - que, mediante a instalação de um aplicativo fornecido pela Gulfstream, poderá ser utilizado para controlar o sistema de entretenimento, ajustar a luz e a temperatura da cabine e até chamar a comissária de bordo, se houver uma a bordo.

O sistema de pressurização também merece destaque, pois trabalha com 100% de ar novo (os jatos comerciais reciclam o ar da cabine para economizar combustível). Isso assegura o bem estar dos passageiros mesmo quando o G250 está voando em sua altitude máxima de 45 mil pés. O banheiro, com direito a janela, e a cozinha com forno microondas, completam a seleção de amenidades a bordo.

O fabricante oferece várias opções de configuração, com direito até a um sofá reclinável

Cada passageiro tem seu próprio monitor, que capta TV via satélite

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...