Lula: denúncias sobre emendas devem ser vistas com otimismo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que as denúncias contra parlamentares da base governista em supostas irregularidades com emendas ao Orçamento da União devem ser vistas com otimisimo. Lula afirmou, durante viagem a Missão Velha (CE), que "isso é da democracia: a pessoa é indicada, comete um erro e cai fora".

Segundo reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, o senador Gim Argello (PTB-DF), líder de seu partido no Senado e relator do Orçamento de 2011 até a semana passada, estaria envolvido em um esquema de lobby para institutos fantasmas através de emendas individuais. A denúncia levou Argello a renunciar à relatoria do Orçamento. Ele foi substituído pela senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), que, no fim de semana, também foi envolvida em acusações de uso irregular de verbas de emendas parlamentares.

"A gente vai fazendo um processo de depuração. Eu acho que isso não deve ser uma coisa que atemorize ninguém, pelo contrário, deve ser uma coisa que nos deixe otimista de que na medida em que você tem liberdade de imprensa, você tem fiscalização, você tem poder de denúncia, você vai trocando as pessoas até você encontrar as pessoas adequadas para fazer as coisas adequadas", disse Lula sobre as denúncias.

Gim Argello é suspeito de propor emendas ao Orçamento destinando recursos públicos a empresas fantasmas e autorizando depósitos nas contas de um mecânico e um jardineiro, usados como laranjas no suposto esquema. O desvio de recursos estaria disfarçado de patrocínio para eventos culturais. Ele nega as irregularidades.

De acordo com a reportagem da revista Veja, a assessora de Serys, Liane Muhlemberg, desde 1997 é presidente do Instituto de Pesquisa, Ação e Mobilização (Ipam), que recebia recursos públicos destinados por emendas parlamentares ao Orçamento. Ainda segundo a revista, Liane teria assinado um documento em que negava ser funcionária do Senado justamente para poder ficar com os recursos públicos enviados pelas emendas do Legislativo. Serys negou ter repassado verbas ao instituto.

Hoje, o presidente do Partido Popular Socialista (PPS), deputado federal Roberto Freire, pediu o afastamento da nova relatora. "Não é possível que o governo não tenha um senador ficha-limpa para ser relator do Orçamento", afirmou.

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...