Muitos anos no mesmo cargo pode atrapalhar busca por novo emprego

Para especialista, o problema não é o tempo de trabalho na empresa, mas ficar sempre em uma única atividade

É muito comum ouvir que ficar muito tempo na mesma empresa é sinônimo de acomodação. Até que ponto essa situação dificulta arrumar outro trabalho? Segundo Marcelo Maulepes, diretor da Consultoria Empresarial Relatom, estar muito tempo na empresa não é um problema - mas se o profissional sempre teve a mesma função, aí sim pode enfrentar dificuldades de recolocação.

Quando o funcionário não tem oportunidade de crescimento é hora de buscar um novo emprego

“O importante é ter trabalhado em atividades diversificadas. Isso mostra que a pessoa agregou conhecimentos e melhora seu currículo em relação às habilidades que adquiriu”, afirma Maulepes.

Para o professor de Educação Executiva da Escola Superior de Propaganda e Marketing do Rio de Janeiro (ESPM-RJ), Luiz Romero, a questão do tempo de casa do funcionário nunca é vista de forma isolada. “As empresas, geralmente, procuram investigar outros elementos, como a remuneração, satisfação com o ambiente de trabalho, a ligação com a sua formação e a perspectiva de ascensão.”

Ficar muito tempo na mesma função tem vantagens e desvantagens. “Você acaba dominando o que faz, se torna bom naquilo. Por outro lado, o profissional pode perder o gosto pelo trabalho e ficar desatualizado”, destaca Romero.

Currículo

O bom currículo não é aquele cheio de trabalhos listados, mas um com atividades que se destaquem para a vaga a qual está concorrendo. Para Maulepes, o importante é o quanto a pessoa sabe a área que está interessada.

O consultor acredita que atualmente a maioria das empresas valoriza muito mais currículos de pessoas que estão há mais tempo em uma única empresa do que o daquelas que “pulam de galho em galho”. “A experiência conta muito, porque é ela que dará suporte para lidar com as dificuldades do mercado.”

Dicas

Se a pessoa está há muito tempo na mesma função, e isso a incomoda, o ideal sempre é a conversa. “É importante deixar seu chefe ou alguém do Recursos Humanos saber que você quer mudar de área ou de posição, dizer o que espera da carreira”, ressalta Maulepes. Segundo ele, não é aconselhável esperar que somente a empresa tome essa iniciativa.

Segundo Marcelo Maulepes,o ideal é sempre deixar claro para a empresa sua vontade de mudar de área

Mas, e se nada mudar? Na opinião de Maulepes isso não pode ser um obstáculo para o funcionário. “Se empresa na qual você trabalha não tem mais possibilidades de crescimento ou aprendizado para lhe oferecer, aí sim está na hora de você ir para o mercado. A sua experiência abrirá portas.”

No entanto, ele destaca que por vezes o profissional apresenta-se com “20 anos de experiência”, mas, na verdade, tem a experiência de um ano, repetida 20 vezes. “Se você ficou na mesma empresa e exercendo a mesma função por 20 anos, isso dificultará um pouco sua recolocação no mercado. Mas se teve diferentes experiências de aprendizado ou de crescimento, ainda que na mesma empresa, com certeza será bem visto.”

O importante é praticar o autodesenvolvimento. Romero ressalta que o profissional tem que entender que ele é o responsável pela sua carreira e crescimento nela. “As pessoas se acomodam e acham que é função da empresa cuidar do funcionário. A companhia pode até ajudar, orientar e mostrar caminhos, mas a responsabilidade maior é da própria pessoa.”

Outro conselho é a atualização. “Para o profissional não parecer que está acomodado com sua função, é importante que ele se atualize, agregue valores e conhecimentos”, acredita Romero.

Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...