Automedicação no carnaval

Medicamentos para ressaca, anti gripais, pílula do dia seguinte, medicamentos para gastrite, analgésicos e anti-inflamatórios. Todos esses medicamentos usados sem orientação médica podem causar sérios problemas, digestivos, renais, hepáticos, distúrbios de coagulação e outros mais. Quando ainda tais medicamentos são associados à altos níveis de ingestão alcoólica isso pode ser muito pior. Então meus amigos vamos ficar bem atentos para não cairmos nesse erro.

Veja abaixo:
  1. O que é Diabetis insipidus?
  2. Dores nas costas. Sintoma comum que merece atenção.
  3. Remédios para emagrecer. Por que é ruim utilizá-los dessa maneira?
  4. GASES!!!! Cuidado com esse diagnóstico.
  5. Tosse – Qual o remédio?


O que é Diabetis insipidus?

Muito se fala no diabetis relacionado à glicemia, açúcar, insulina e pâncreas. Existe um outro tipo de diabetis que não tem nenhuma relação com o açúcar que é o Diabetis Insipidus isto é, “sem sabor” que é caracterizado por um excesso de urina, poliúria, relacionado à um hormônio produzido na hipófise, chamado hormônio anti-diurético, que é o hormônio responsável pela regulação da quantidade de água do nosso corpo. Através desse hormônio, aumentamos ou diminuímos a quantidade de urina produzida pelo nosso rim. Quando há uma alteração da produção desse hormônio pela hipófise ou uma dificuldade na atuação desse hormônio nos rins podemos desenvolver esse tipo de diabetis. Existem várias causas para o aparecimento dessa patologia. Tumores de hipófise, traumatismo craniano, isquemia cerebral, processo imunológicos, neurocirurgia, problemas renais, alguns medicamentos, etc…

Dores nas costas. Sintoma comum que merece atenção.

Sintoma muito comum entre pacientes que procuram ao médico, a dor nas costas pode se manifestar da maneira mais variada possível. Pode ser de instalação aguda ou crônica, atingir qualquer parte das costas, de intensidade variável, periodicidade variável, ter relação com movimentos, com alimentação, com a micção, com esforço físico, etc… O mais importante é que não podemos achar que a dor nas costas sempre é simples, relacionada à problemas ortopédicos, de coluna como bicos de papagaio, hérnia de disco e problemas musculares. Dores nas costas podem ter relação com problemas cardiológicos, renais, vasculares, neurológicos, digestivos e tumorais. Como exemplo, os tumores de pâncreas tem como sintoma muito comum dores nas costas na região toracolombar que piora quando a pessoa se deita. Por isso mesmo, sempre é importante ir ao médico.

Remédios para emagrecer. Por que é ruim utilizá-los dessa maneira?

Na revista Veja edição de 23 de Fevereiro, li uma reportagem sobre a possível proibição da venda de medicamentos para emagrecimento por parte da ANVISA.  Vários especialistas se manifestaram contrários a essa medida no que eu concordo. Porém, vamos também ter a maturidade suficiente para discutirmos a maneira pela qual esses medicamentos são utilizados no intuito de diminuir o apetite para que se reduza o peso em pessoas com obesidade mórbida. Não devemos retirar tais medicamentos de circulação mas sim, devemos fazer uma fiscalização intensa nos médicos que prescrevem esses anorexígenos de maneira indiscriminada, sem a menor orientação dietética, sem controle do tempo do uso e sem prevenir os pacientes sobre os eventos adversos que tais medicamentos podem causar. Existem casos onde o nível de obesidade está levando muitos paciente a terem sérios riscos de complicações cardio-vasculares, respiratórias, neurológicas, oftalmológicas, nefrológicas e outras. Tais situações obrigam atitudes rápidas e drásticas até com o uso de derivados anfetamínicos, substâncias dopaminérgicas e outras na missão de se obter uma redução ponderal rápida e uma tentativa de manutenção do peso, o que é extremamente difícil.
Na verdade o que se vê, são pessoas usarem cronicamente e inadvertidamente tais substâncias de maneira prolongada, através das tais fórmulas para emagrecimento, para se manter uma ‘beleza’ e um corpo ideal aos padrões de hoje. As anfetaminas causam dependência física e psíquica e podem levar à várias complicações psíquicas e neurológicas. Se alguém está tomando tais medicamentos dessa maneira é por que algum profissional portador de CRM o está prescrevendo.
Acho que o medicamento tem suas indicações e não deve ser retirado do mercado mas, temos que fazer uma fiscalização severa em relação a quem prescreve tais substâncias e também procurar esclarecer a população sobre os problemas de se usar essas drogas por período muito prolongado.
Também vamos mostrar a todos que tais medicamentos não são milagrosos e que uma dieta adequada e exercícios físicos são as medidas mais salutares e efetivas para se perder e manter o peso.

GASES! Cuidado com esse diagnóstico.

É muito comum atendermos pacientes com quadros abdominais como apendicite aguda, colecistite aguda, diverticulite aguda, obstrução intestinal parcial ou total e outras patologias que necessitam um diagnóstico preciso e uma conduta adequada, clínica ou cirúrgica, que mal conduzido leva à complicações graves ou até tirando a vida do paciente. Estou salientando tudo isso porque um dos principais sintomas dessas patologias é cólica abdominal e distensão (estufamento) abdominal. O diagnóstico mais perigoso que as pessoas que estão sendo acometidas dessas patologias é de ‘GASES’ intestinais pois dessa forma o leigo vai se tratar com medicações como laxantes, anti-espasmódicos,analgésico, anti-gases, anti-ácidos, anti-inflamatórios e qualquer outro tipo de medicação que não trata absolutamente nada como também causará complicações graves como peritonite, perfuração intestinal, septicemia, etc… Vamos sempre ficar atentos ao sintoma gases pois temos gases intestinais desde que nascemos e só se tem a sensação de excesso de gases quando alguma coisa errada está ocorrendo no nosso aparelho digestivo.

Tosse – Qual o remédio?

É muito comum nossos pacientes nos procurarem com um sintoma básico e solicitando uma medicação, a TOSSE. Antes de se medicar um paciente para tosse temos que considerar algumas coisas. Primeiramente  a tosse é um sintoma que merece um diagnóstico para posteriormente termos um tratamento de acordo com a causa. Problemas alérgicos, sinusite, faringite, infecção brônquica ou pulmonar, bacteriana ou viral, doenças infecciosas de instalação mais lenta como tuberculose por exemplo, problemas cardiológicos, problemas digestivos como o refluxo gastro-esofágico, são algumas das inúmeras causas de tosse. Além de se diagnosticar o motivo temos que entender que a tosse é um mecanismo de defesa da nossa árvore respiratória e não deve ser inibida totalmente. Outra dica é que os medicamentos inibidores da tosse tem efeitos colaterais e também podem causar dependência química como é o caso da Codeína. Cuidado também com xaropes para inibir a tosse.
Gostou das postagens? Que tal compartilhar? Indique!
Clique acima e compartilhe por e-mail, Twitter, Facebook...